Uruz – A Arte e o Poder das Danças Sagradas

Como eu disse antes sobre a runa Uruz, ela é ótima  para podermos trabalhar com cura física, cura emocional, para termos força de vontade… para manifestar nossos pensamentos!

Mas como podemos nos curar se a doença vem de dentro? Como podemos ser fortes se quem fala que somos fracos somos nós mesmos? Como podemos manifestar nossos pensamentos se não cumprimos nossa palavra? Se mentimos e desmentimos a nós mesmos? Como podemos ter força de vontade se tratamos nossas feras interiores, nossos problemas, nossos medos como se eles nem existissem?

Compreendem como todas essas atitudes são desgastantes e comprometem nosso crescimento? Não adianta de nada tomar um remédio de uma doença que voce quer ter. Ou se a doença é apenas o reflexo de algo ainda mais profundo do que um mero virus da gripe. Devemos conhecer nosso corpo e saber do que ele precisa primeiramente. É como procurar casamento em chat de encontros. Não funciona corretamente (salvo algumas exceções).

Da mesma forma, nosso poder pessoal, nosso hamingja. Ele deve ser alimentado com “eu posso” não com “eu não sou capaz”. “Eu não consigo” – “Eu não consegui”. Conseguem ver a diferença dessas duas frases? Segue os ensinamentos de fehu (agradecer) em Uruz (fazer acontecer).

Como podemos fazer nossa Wish Board e colocar lá uma foto de uma linda casa e esperar sentado no sofá assistindo a novela que ganhemos a casa de uma forma miraculosa e mágica do além? Make belive? O Segredo? Apenas pensamento positivo não basta! Tem que por a mão na massa. Uma nota: trabalhar também é magia =] não sei vocês, mas não tenho paciência para esperar ganhar na loteria.

Outra coisa ainda mais importante que eu aprendi com meu Orientador (Bruno Pythio) durante meus estudos nos ensinamentos do meu sacerdócio com Apollo: COMO posso querer que meus feitiços deem certo pelo simples fato de fazê-los e não trabalhar em cima deles? Enfaticamente, como posso dizer ao universo que a minha palavra tem poder se eu desvalorizo ela a cada mentirinha que solto para me safar de um probleminha qualquer, para não encarar as consequencias dos meus atos? Mentir não faz bem a bruxo nenhum rs.

E continuo, como podemos querer ter força de vontade se nos auto-sabotamos diariamente? Fingindo que não temos problemas como qualquer outra pessoa? Como podemos arrancar poder interior se nosso interior está corrompido e doente?

Uruz então vem lhe dizer para encarar a si mesmo! Deixar de ser louco e parar com esses atos suicidas. Primeiro, aceite quem você é e reconheça sua bagagem. Segundo, estabeleça corretamente o que você quer e saiba que, se você foi capaz de sonhar, você é capaz de fazer. Terceiro, não espere, faça! Quarto, pare de mentir e assuma as responsabilidades de suas palavras. Comece pelas pequenas coisas – não se atrase, diga não quando quiser dizer não, saiba o que é seu e o que do outro, saiba quando faz algo por você e quando faz algo por outrem. E quinto, alimente seu interior com coisas boas e coisas que você realmente precisa. Não alimente um lobo com tofu.

Mas vamos começar logo essa dança antes que este texto pareça bronca de um padre velho.

As Danças Sagradas são as formas mais antigas de atingir um certo nível de auto-reconhecimento. Integrar-se e entragar-se a si mesmo! Não, não há passos de uma escola de dança para você seguir. Mas há preparos que todo bruxo deve fazer. Procure por um local calmo, baixe da internet alguma música instrumental que você prefira. Eu gosto de tambores, flautas e harpas, fica a dica. Nesse local calmo, trace o círculo. Puxe a energia da terra pelos seus pés e a expanda no círculo através dos seus braços… invoque o quadrantes, se for de seus ensinos, ou animais guardiões. Agora invoque Uruz no centro do círculo. Visualize seu símbolo sobre sua cabeça, no “topo” do círculo mágico. Ela vibra em sua cor vermelho-terra. Solte a música e conecte-se com seu eu interior… conecte-se com sua fera! Deixe ela agir através de você. Deixe ela aos poucos tomar conta dos movimentos. Veja as suas necessidades nessa dança. Se ela é reclusa, se ela é domesticada. Veja os traumas que ela tráz a tona que precisam ser tratados por você. O que ela fez que você não queria ter feito? O que você fez que foi contra os instintos dela? Fique nessa dança por quanto tempo você achar necessário. Mas faça as pazes com essa fera. Não a machuque mais. Não se fira mais. Encerre o ritual após despedir-se de Uruz de forma apropriada e desfazer o círculo mágico.

Como foi danças pra fora das sombras?

Namastê,

Arlon Alexicacus

GramaVerde

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s